30 de dez de 2010

RECOMEÇAR...

Todo final de Ano, um sentimento se apodera de todos, novos ou velhos, pobres ou ricos, sarados ou feridos: vontade de fazer melhor, dar início a um projeto adiado, começar de novo!
Numa sessão nostalgia lembramos fatos, relembramos sonhos, e dentro de nós começa a borbulhar algo que é nato a todos os homens: o desejo de recomeçar!
Não importa onde você teve quer parar, ou em que momento da vida você cansou...

O que importa é que sempre é possível e necessário "Recomeçar".
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo para ser feliz...

É renovar as esperanças na vida e o mais importante, acreditar em você de novo.
Sofreu muito nesse período de tempo? Foi tudo aprendizado...
Chorou muito? Foi limpeza da sua alma...
Se ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia...
Sentiu-se só por varias vezes? É porque fechaste a porta da sua vida até pra Deus...
Chegou a acreditar que tudo estava perdido? Isso era o início da tua melhora...
É hora de recomeçar!
E para isso, necessitamos deixar muitas coisas para trás.
A Bíblia conta uma história de um homem chamado José, que nos ensina sobre recomeçar, deixar para trás as coisas velhas, o passado que nos machucou.
Este homem sempre foi vítima de injustiças, invejado, lançado numa cova, vendido, caluniado, esquecido.
 
José do Egito teve dois filhos, e ao dar nome a estes, percebemos que José rompia ali com o passado, sofrimentos e angústias vividas: E chamou José ao primogênito Manassés; porque disse: Deus me fez esquecer de toda a minha angústia; Ao segundo chamou Efraim; porque disse: Deus me fez crescer na terra da minha aflição.” (Gênesis 41: 52, grifo meu). 

Nessa época em que analisamos o ano que passou e projetamos o vindouro, vale ressaltar os nomes dos filhos de José: Esquecimento e Crescimento.
Num primeiro momento, Deus limpa o seu coração de toda mágoa e sentimentos de vingança que de algum modo poderiam ter ali florescido.
Da mesma forma, as Escrituras nos instruem a “… esquecer das coisas que para trás ficam…” (Filipenses 3.13).
Em algum momento de nossa caminhada, devemos nos despojar do passado, fatos ou jugos que podem atrasar ou mesmo impedir que sigamos adiante.
É para frente que se anda!

Agora é o momento de recomeçar!
Tirar as coisas velhas do baú da alma, deixando-as para trás, e encontrar prazer nas coisas simples de novo.
Que tal um novo amigo?
Um novo corte de cabelo?
Um curso novo? Ou simplesmente aprender a desenhar, pintar, tocar...ou qualquer outra coisa que te dê prazer...

Veja quanta coisa nova te aguarda nesse mundo... Veja as belezas que você pode experimentar...
Jogue fora todas as coisas negativas da sua vida...
Jogue fora todos os ressentimentos...
Jogue fora todas as mágoas e raivas que teve....

Chegou a hora de fazer tudo diferente... Esse é o momento de SER FELIZ!

Hoje é o dia para incrementar sua vida com novos sonhos e desafios...
O que você sempre quis fazer?
Onde você quer chegar?
Queira ir alto...
Sonhe alto, queira sempre o “melhor do melhor”.
Traga coisas boas para sua vida...
Se pensarmos pequeno... Atingimos resultados pequenos...
Se quiser a felicidade verdadeira, e buscá-la, com certeza ela irá se instalar na tua vida!
Esvazie seu coração... E fique pronto para amar novamente... Para sentir a vida novamente, redescobrindo o prazer de viver...
Feliz 2011!

"Eu é que sei que pensamentos que tenho sobre vós, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança" Jeremias 29:11

21 de dez de 2010

Quando o sol nasce...

Bom dia.... essa foto é do sol nascendo aqui neste lugar que aprendi a amar...
Não importa a situação de nossas vidas, não importa a real condição que nos encontramos, quando vejo o sol nascendo sempre lembro que 
Deus é muito bom nunca nos deixa sozinhos, desamparados...

O choro pode durar uma noite, mas pela manhã, quando o sol esta recém despontando no horizonte com seus primeiros raios iluminando a terra, e quase todo mundo continua dormindo, bem, cedinho assim, as misericórdias dEle se renovam sobre nós....

E sabe o que é mais incrível nisso tudo??
Ele não olha a nossa condição, Ele simplesmente derrama sobre nós do Seu amor e nos renova..... é é muito bom saber disso!

5 de dez de 2010

Cheiro de Ovelha

Em dezembro de 2006, na rodovia 36, em Brazoria, no Texas, alguém roubou o bebê Jesus e a manjedoura dele. Bem, não era exatamente Jesus; era a estatueta de Jesus do presépio da cidade. Foi roubado e parecia que a cidade toda ficou deprimida por conta disso. Assim, quando montaram o presépio de 2007, não havia nenhum bebê Jesus ou manjedoura.

O povo em Brazoria não está só. O problema é chamado de “Síndrome do Bebê Jesus Roubado” e acontece todos os anos. O bebê Jesus é roubado de presépios ao redor do país. Na realidade, histórias sobre o desaparecimento do bebê Jesus são encontradas em jornais e notícias de Televisão local ao redor do mundo. É natural que qualquer pessoa que ouvir esta história dirá algo do tipo: “Quem faria uma coisa dessas?”

Neste Natal, temos problemas muito maiores do que um bebê Jesus de plástico roubado de uma falsa manjedoura num presépio. E se formos honestos conosco mesmos, o verdadeiro Jesus é freqüentemente seqüestrado da nossa experiência de Natal por muitas razões:
. Às vezes é o nosso próprio stress, viagens, e preparativos para os feriados que nos privam de Jesus.
. Às vezes é a pressão daquilo que dizem ser “politicamente correto” que remove Jesus desta época e o substitui com bonecos de neve e rena.
. Às vezes, é o exagero, falsidade e rudeza daqueles que se chamam de Cristãos que roubam Jesus desta temporada. Foi por isso que Deus incluiu pastores na história (Lc 2:8-20).

Antigamente, pastores gozavam de um status de “mais favorecido” nas histórias da Bíblia. Grandes heróis da fé – como Abraão, Moisés e Davi – foram pastores. Um dos salmos mais amados fala de Deus como um pastor (Salmo 23).
Quando Jesus nasceu, porém, pastores haviam sofrido vários séculos de relações públicas ruins. Eles eram pobres. Eles viviam ao ar livre. Eles não eram refinados. Eles não eram educados. Pior de tudo, eles cheiraram como ovelhas. O termo técnico usado pelo povo nos dias de Jesus para descrever pastores e outras pessoas menos aceitáveis eram “am haaretz” – significando “povo comum”, ou “pessoas da terra.” Deixe-me assegurá-lo, ser classificado “am haaretz” não era nenhum elogio nos dias de Jesus.

As “pessoas da terra" não eram consideradas boas candidatas para serem religiosas. Elas eram consideradas sujas, rudes e desleixadas. Elas não tinham o tempo para estudar todas as tradições religiosas, e assim não podiam cumprir os padrões legalistas da retidão religiosa. Elas estavam muito ocupadas fazendo trabalho sujo para serem consideradas puras o bastante para serem religiosamente desejáveis. Elas eram pobres demais para ir nas peregrinações religiosas para os lugares sagrados de adoração. Por isso os religiosos nunca as considerariam fiéis a Deus. O último lugar em que se esperaria Deus revelar a sua glória era para um grupo destes marginais.

No entanto, quando Deus chamou os anjos para anunciarem o nascimento de Jesus, Ele os enviou a pastores lá fora no campo, cuidando das suas ovelhas!
Pense nisto: pastores sujos e fedorentos acampados ao ar livre, cuidando das suas ovelhas ouviram os louvores de anjos e correram para ver o bebê Jesus recém-nascido.
Muitos hospitais não teriam permitido eles entrarem na sala de espera, muito menos na sala de parto. Mas Deus fez questão de que os pastores se sentissem em casa quando acharam o bebê Jesus. Ele estava deitado num cocho de alimento no lugar onde os animais eram mantidos – um lugar onde qualquer pastor se sentiria em casa.

Assim, bem no meio do nascimento do Filho de Deus, com todos os ‘povos bons’ orando pela libertação de Deus, com os Romanos ocupados dominando o império e com as pessoas religiosas tentando proteger suas tradições, Deus colocou o Filho dEle em uma manjedoura cercada por um grupo de marginais sujos e fedorentos conhecidos como pastores. O cheiro de ovelha e a fumaça das fogueiras dos acampamentos deles ainda permeava as suas roupas quando chegaram para cumprimentar o recém-nascido Rei.

A história dos pastores é a lembrança de Deus de que ninguém pode roubar a graça dEle de nós. Não importa onde nós fomos ou como nós cheiramos ou de quê outras pessoas nos chamam, há um lugar perto da manjedoura com o bebê Jesus, para cada um de nós.

Acho que é por isso que eu amo a história sobre o bebê Jesus roubado em Brazoria. Depois que um vento forte derrubou o presépio no domingo de 16 de dezembro de 2007, algumas pessoas apareceram para restaurar o presépio. Adivinhe o que elas acharam? Sim, o bebê Jesus estava de volta onde ele devia estar. Jesus tinha sido devolvido para a manjedoura. O José e Maria mais uma vez ficaram rodeados pelos animais e pastores enquanto se curvaram diante do Rei.

Para mim, esta é a pequena lembrança de Deus de que todos são bem-vindos para receber o presente da graça dEle.

Nós somos bem-vindos nesta manjedoura.

Até mesmo se nós federmos com o odor de nossas escolhas e reputações ruins, nós ainda somos bem-vindos.

E se nós estivermos dispostos, o Vento do céu pode soprar pela destruição de nossas vidas e nos devolver Jesus novamente!

“E aconteceu que um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor resplandeceu ao redor deles; e ficaram aterrorizados. Mas o anjo lhes disse: "Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor. Isto lhes servirá de sinal: encontrarão o bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura". (Lucas 2:9-12 NVI).
Neste mês de dezembro, próximo a mais um Natal.... pense nisso....

Beijo no coração